PESQUISA DE EQUIPAMENTOS

Pesquisa personalizada

06 junho 2006

EUROFIGHTER TYPHOON II. Defendendo os céus da Europa


DESCRIÇÃO
O Typhoon será o novo caça de interceptação de muitos países europeus, começando pelos seus construtores, Inglaterra, Itália, Espanha, Alemanha. E também já foi encomendado pela Arabia Saudita e Austria. O Typhoon assumirá a posição de vários aviões de combate, sendo eles o Panavia Tornado IDS/ F-3, o F-4F Phanton alemão, o F104 Starfighter italiano e o Mirage F-1 espanhol, e isso dá para se ter uma idéia da responsabilidade que esse novo caça terá que levar em suas costas. Esse avião sofreu de pesados obstáculos políticos e financeiros durante seu desenvolvimento já que seu valor de célula é bem salgado estando em torno de U$120.000.000,00 por unidade. Mas passada a tempestade esse caça já entrou em serviço nos 6 países citados no começo desse artigo.


Acima: Um Typhoon acelera com o pós-combustor a plena potencia para mais uma missão de treinamento. A relação peso potencia do Typhoon está em 1.15, permitindo acelerações muito rápidas.
O Typhoon foi concebido para a alta manobrabilidade e elevado índice de potencia para se dar bem em combates aéreos fechados, e também está equipado para superar seus inimigos em combates além do alcance visual (BVR), através de seu radar ECR-90 que é capaz de atacar 4 alvos simultaneamente com mísseis AIM 120 Amraam ou o novo míssil Meteor que tem alcance de +100km. O ECR-90 possui um alcance máximo de 370 Km contra alvos grandes como um avião AWACS ou 175 Km contra alvos do tamanho de caças. Apesar de tudo isso é interessante notar que o radar ECR-90 é de varredura mecânica como os radares atuais, mas existe um programa anglo-frances para o desenvolvimento de uma antena de varredura eletrônica ativa (AESA) que será usado pelo Typhoon e pelo Rafale frances na futura versão F-3. Esta nova antena está sendo desenvolvida dentro do programa AMSAR, que dará melhores capacidades de combate à ambos os caças como um aumento na capacidade de engajamento múltiplo que poderá chegar a atacar 8 alvos simultaneamente. Além do radar, também está instalado um sistema IRST Pirate para detecção passiva e designação de alvo para armas, similar aos instalados nos caças russos e no rafale. Trata-se de um importante sistema de detecção já que permite detectar eventuais inimigos com tecnologia de invisibilidade que possam surgir. Além disso, esse sistema pode ser usado no combate fechado dando a referência para o disparo dos mísseis off boresight. O Pirate está integrado ao capacete do piloto que, como nos caças russos, só precisa olhar para o alvo, selecionar o míssil e disparar. No combate aéreo fechado as armas que podem ser usadas pelo Typhoon são os mísseis AIM-9 L/M Sidewinder ou os novos mísseis Asraam e IRIS-T com capacidade de engajamento de alvos que estejam a 90º em relação a cauda do inimigo.
Acima: Os Typhoon biposto foram os primeiros a serem entregues para as quatro forças aéreas participantes do consórcio devido a necessidade de treinar os pilotos na nova aeronave.
O Typhoon é uma aéronave multifunção e por isso transporta armas ar terra também. E entre as armas mais interessantes, está o míssil brimstone, que é um míssil ar terra baseado no Hellfire americano e que pode ser usado contra veículos e alvos fortificados a um alcance de até 12 km. Além desse míssil o Typhoon pode ser armado com mísseis anti-radar Alarm que são guiados pelas ondas de radares do inimigo. O alcance do Alarm é de 45 km.
O novissimo míssil de cruzeiro Storm Shadow é outro trunfo do Typhoon. Este missil tem uma ogiva de 450 kg de alto explosivo (HE) a um alcance de 250 km. O armamento interno do Typhoon é o potente canhão Mauser BK-27 de 27 mm, do mesmo tipo que o usado no caça JAS-39 Gripen. Este canhão consegue uma cadência de tiro da ordem de 1700 tiros por minuto, e o Typhoon transporta 150 tiros.
Acima: O míssil de cruzeiro Storm Shadow é a principal arma de ataque stand off do Typhoon. Com este míssil os alvos podem ser destruídos a 250 km preservando a integridade do caça diante de uma eventual defesa antiaérea.
A propulsão do Typhoon é feita por dois motores Eurojet EJ-200, cujo empuxo máximo é de 9000 kgf, com a pós-combustão, e 6000 kgf com empuxo seco. Este moderno motor, teve seu desenvolvimento feito em paralelo com desenvolvimento do Typhoon. Quando o primeiro protótipo do Typhoon estava pronto, os motores, ainda não tinham sido entregues, acabou sendo instalada a mesma turbina dos Tornados neste protótipo, a RB-199, para iniciar os testes
Acima: Um Typhoon faz uma passagem em baixa altitude. Além da defesa aérea, os Typhoon, substituirão algumas unidades de ataque equipadas, atualmente, com Tornados IDS, para ataque ar terra.
O Typhoon representa um grande avanço na capacidade de combate aéreo dos países europeus, e o mais importante é que trata-se de uma solução européia para uma necessidade européia. A Europa tem sido um grande dependente de sistemas de armas de origem norte americana o que acaba acarretando em soluções, nem sempre, ideais, para as necessidade de defesa, além de que a influencia política dos Estados Unidos, da forma que tem sido após a segunda guerra, tem levantado questionamentos cada vez mais sérios por parte das autoridades do velho continente.
FICHA TÉCNICA DE DESEMPENHO
Velocidade de cruzeiro: * mach 1
Velocidade máxima: mach 2
Razão de subida: * 15240m/min
Potencia: 1.15
Fator de carga: 9 Gs
Taxa de giro: 31º/s
Razão de rolamento: 240º/s
Raio de ação/ alcance: 1390km/ 2780km
Alcance do radar: ECR-190 CAPTOR com 175km
Empuxo: 2X EJ-200 com 9200kgf cada
DIMENSÕES
Comprimento: 15,96m
Envergadura: 10,95m
Altura: 5,28m
Peso: 11000kg
ARMAMENTO
Ar Ar: mísseis AIM120 Amraam, Meteor, Asraam, IRIS-T, AIM-9L/M Sidewinder, Asraam, IRIS-T
Ar terra: Mísseis Storm Shadow, Taurus MAW, Brimstone, Bombas Guiadas a laser da familia Paveway.
Interno: Um canhão Mauser MK 27 de 27 mm.


ABAIXO UM VIDEO DO TYPHOON DURANTE ACROBACIAS.
Gostou deste artigo? Receba por e-mail o alerta de atualização do blog, mande um e-mail para campodebatalha.blogs@gmail.com

38 comentários:

Douglas disse...

carlos
temos noticias na midia e em sites sobre assuntos militares que foi autorizado novamente o FX para compra de novas aeronaves para a FAB.Eu gostaria de saber qual dos
caças europeus seria melhor para o Brasil???mais levando em conta apenas as caracteristicas da cada um o Rafale ou Typhoon??e quais serião essas caricteristicas??
desde ja muito obrigado!!!

Carlos E. Di Santis Junior disse...

Olá Douglas. Eu tenho lido bastante noticias a respeito desse assunto, porém não considero que os caças europeus Rafale ou Typhoon seja ideais para o Brasil. Hoje vejo o Su-35BM como a melhor opção. Entre os Europeus, O Rafale tem o menor valor de aquiseção, mas é sabido que a manutenção do equipamento frances é caro. O Typhoon, é caro de mais, tanto de adquiri como de manter. O Typhoon tem um radar copm maior alcance que o do Rafale, porém o Rafale tem um radar de varredura eletronica mais avançado. Em desempenho de voo, ambos são muito similares. Neste Blog há matérias especificas sobre cada um,deles, como você deve ter visto. Para maior detalhes e para compor uma opinião propria, recomendo ler esses artigos.
Abraços

Wilson disse...

Olá carlos!!!!!!!

primeiramente quero dizer q to sempre visitando o seu blog,e,e muito bom!!!

e queria q você me esclarecesse uma duvida

o caça frances Dassault Rafale e capaz de ser armados com misseis MBDA Brimstone?hoje usado pelos tornados,EF-2000 e Harrier GR9

Obrigado

Wilson disse...

Olá carlos!!!!!!!

primeiramente quero dizer q to sempre visitando o seu blog,e,e muito bom!!!

e queria q você me esclarecesse uma duvida

o caça frances Dassault Rafale e capaz de ser armados com misseis MBDA Brimstone?hoje usado pelos tornados,EF-2000 e Harrier GR9

Obrigado

Carlos E. Di Santis Junior disse...

Olá Wilson. Obrigado por visitar o Blog Campo de Batalha. Sobre sua duvida, o missil Brimstone não foi integrado ao rafale ainda.
Abraços

Wilson disse...

olá mais uma vez!!!

sobre o F-x2,qual será a melhor decisão,o EF-2000 ou o Rafale?

Valeu.

Carlos E. Di Santis Junior disse...

Olá Wilson.
Eu penso que ambos os aviões são muito similares. Porém se não houvesse o problema do alto valor do Typhoon, este seria o melhor caça. Porém eu considero o Su-35BM o caça mais interessante para o FX-2.
Abraços

Wilson disse...

Só mais uma dúvida que me resta:;
o Rafale pode ser comparado com os SU-30 Venezuelanos?

Carlos E. Di Santis Junior disse...

Olá Wilson. O Rafale é um caça que pode fazer frente ao Su-30 Venezuelano. Ainda, se for usado com apoio de um R-99, a coisa pode ficar feia para os Su-30. Mas de qualquer forma são aeronaves com capacidades de combate similares.

Wladimir disse...

Seu Carlos, gostaria de fazer uma comparação entre o EF-2000 vs F-15C. Qual das duas aeronaves é o melhor caça? Outra comparação: EF-2000 vs F-15E (este com radar AESA). Descartando-se a polivalência do F-15E e apenas tratando-os no combate ar-ar. Qual dos dois é o melhor, na sua opinião? Grato pela sua atenção, Seu Carlos. Excelente blog, meu parabéns.

Carlos E. Di Santis Junior disse...

Olá Wladmir.
O Typhoon é mais eficiente no combate ar ar. Além de um RCD menor, dificultando sua detcção ao radar, frente a o velho F-15, o Typhoon é, consideravelmente, mais agil e manobravel.
Comparando o Typhoon com o F-15E, na arena ar ar, ainda, o Typhoon se mantém a frente. No final desta decada ou inicio da proxima, o Typhoon será equipado com um moderno radar AESA.
Obrigado pela gentis palavras.
Abraços

Allan disse...

o novo F-16 E/F Block 60 vendido aos emirados arabes.

tive lendo uma materia, Além dessas vantagens, o Block 60 conta com um sofisticado conjunto de sensores, onde à cabeça está o radar AN/APG-80 do tipo AESA.

Ele está conforme a norma MIL-STD-1773, sendo que a maior parte das cablagens de dados entre os vários sensores e equipamentos do avião são em fibra óptica e por isso são imunes a interferências electrónicas, além de terem uma velocidade de transmissõa de dados 1000 vezes maior que nos outros aviões deste tipo.

gostaria de uma opinião sua Carlos.

Carlos E. Di Santis Junior disse...

Olá Allan. Realmente o F-16E é um senhor caça. Mesmo a USAF não tem nenhuma versão com capacidades tão avançadas. penso que o F-16E é um caça mais avançado que o Typhoon trenche 1 e 2. O Typhoon ainda não usa um radare AESA e nem tem capacidade de ataque completa. Porém a ultima versão do Typhoon terá um radar AESA europeu e sua capacidade de combate será total. Lembre que o F-16E é o ultimo modelo e por ser um projeto mais antigo pouco se poderá fazer por ele em termos de crescimento. Já o Typhoon é um caça de nova geração e pode ser bem modificado ainda. Por isso o considero uma opção melhor se o usuario não tem interesse em substituir seus caças em curto e médio prazo.
Abraços

Skill disse...

projeto moderno e nada de um empuxo vetorado????

Qd for disponibilizado o empuxo vetorado parta este caça ja estará em linha de produção nos EUA ou Russia o empuxo "magico" ou OVT.

Carlos E. Di Santis Junior disse...

Olá Skill.
vejo novamente que você se mostra desatualizado. Foi publicado na imprensa especializada em 15 de outubro de 2009 a disponibilidade de uma versão do Eurojet EJ-200 com vetoração de empuxo para os usuários que optarem por isso. Lembro que o Typhoon, sem esse recurso gira muito mais que um Mig 29, mesmo sem o uso desse recurso.
Não se deixe dominar pelo coração... é evidente que sua preferência é a favor de caças russos. Mas é pessoal e não técnico.
Abraços

Skill disse...

Não..é tecnico sim...
Com certeza ele gira mais que um MIG29..pois possui canards e bom motor.

Mas nao o comparo com o MIG 29 mas seu concorrente mais direto SU35.

Não posso compara-lo ao Mirage...(nao mesmo!)

Não posso compara-lo ao Rafale (não mesmo!)

F18?? talves...(mas acho que o F18 leva um cacete)

So me resta as aeronaves Americanas e Russas...como geograficamente ele foi preparado para fazer frente as novas ameaças então penso logo no SU35, F35, F22, MIG35 e por ae vai.

Só tem uma coisa que me chama aa tenção neste caça... o preço!

Acho que ele surgiu mais por "orgulho".

Lucas disse...

Eu discordo sr. Skill. O Rafale é tão capaz quanto o Typhoon, no quesito desempenho. E não são apenas os dados técnicos de uma aeronave que vencem um combate aéreo. As táticas, o treino, o apoio em campo de batalha (nomeadamente ECM e AWACS) podem mudar os resultados de um embate. O Typhoon é realmente muito caro, mas não acredito que os compradores do Typhoon adquiriram uma aeronave que não apresenta uma capacidade mínima de superar seus eventuais oponentes...

Quanto ao caça em si, vejo que há uma janela de possibilidade de melhorias, principalmente porque as exigências dos paises europeus que usam este caça são bastante diversas, tornando-o passível de se tornar uma plataforma muito versátil. Também penso que a doutrina dos usuários do Eurofighter possa ser aprimorada, visando aproveitar todas as suas capacidades, tanto atuais, quanto futuras.

E, Carlos, parabéns pela dedicação e pelo excepcional trabalho que tem feito no blog.

carlito disse...

Ola, Skill

Desculpe-me por descordar de sua opinião, mas:
Não vejo o Rafale como inferior ao Typhoon. O Rafale tem maior autonomia, maior carga paga, velocidade igual, agilidade superior, radares iguais em fim como diz o Carlos “são caças similares”. Mas na minha opinião com vantagens para o Rafale, vejo o Rafale como a evolução do Typhoon e pra se totalmente sincero só me impressiona seu super motor.
Não que eu esteja desmerecendo suas qualidades apenas estou dizendo que acho o Rafale levemente superior.

Abraços a todos camaradas!!

cleyton live disse...

Carlos beleza? eu penso q não basta apenas mentes brilhantes para construir 1 super caça é logico q o mais importante de tudo é o investimento no projeto, o typhoon 2 é um ótimo caça mais inferior ao f22 e por cima trata de um avião construido pelo 1 consórcio europeu,eu como admirador da tecnologia militar alemã eu pergunto´, se o governo alemão desse 1 cheque em branco a luftwaffe e seus engenheiros pra criar um rival a altura de seu rival f22 não sairia 1 supresa bem desagradavel pro f22? obrigado bom fim de semana!!!!!!!!!!

cleyton live disse...

Carlos beleza? eu penso q não basta apenas mentes brilhantes para construir 1 super caça é logico q o mais importante de tudo é o investimento no projeto, o typhoon 2 é um ótimo caça mais inferior ao f22 e por cima trata de um avião construido pelo 1 consórcio europeu,eu como admirador da tecnologia militar alemã eu pergunto´, se o governo alemão desse 1 cheque em branco a luftwaffe e seus engenheiros pra criar um rival a altura de seu rival f22 não sairia 1 supresa bem desagradavel pro f22? obrigado bom fim de semana!!!!!!!!!!

Carlos E. Di Santis Junior disse...

Olá Cleyton
Certamente, nessas condições, a Alemanha teria condições de desenvolver um avião, no mínimo, equivalente. Mas como você disse... teria que ser um cheque em branco, pois o custo seria "pornográfico" hehehehe
Abraços

Francoorp disse...

Sempre de alto nível os teus artigos.

Valeu Carlos!!

Carlos E. Di Santis Junior disse...

Obrigado Francorp.
Abraços

Wilson disse...

Olá meu grande amigo Carlos!!!

O brasil tem algum interesse no Typhoon para substituir o F-5M?, ele poderia ser escolhido, mesmo numa versão básica para complementar o F-X2?

Abraço e parabéns pelo Blog

Carlos E. Di Santis Junior disse...

Olá Wilson!
O Typhoon participou da primeira fase do FX-2 e foi desclassificado. O custo dele é maior que o do Rafale, além de que ele não tem um radar AESA ainda, o que era um requisito primário para o caça do FX-2. Para substituir a frota de F-5, está planejado que se use o próprio vencedor do FX-2, porém, caso isso não aconteça, será necessário um caça mais barato.
Abraços

Wilson disse...

Olá carlos...

Soube que o EF.2000 está sendo oferecido novamente para o Brasil. Se por um acaso no futuro, com um novo processo de avaliação ele for escolhido qual armamento ar tera o Brasil poderá introduzir nele, sei que a opção ar ar são meteor e iris-t, mas a maioria das armas ar terra são de origem norte americana como as pavewey e os eua irão vetar a venda de armas se o F-18 ão ganhar a disputa.

Abraço e um Feliz ano novo!!!!

Carlos E. Di Santis Junior disse...

Olá Wilson. Os armamenso integrados ao Typhoon, hoje, são o AIM-120 e o Meteor, que só estará operacional e m 2018. Integrar o fraco míssil Derby a um Typhoon é besteira, além de caro. Não acho que os americanos nos bloqueariam em adquirir armas deles caso o Super Hornet não vença.
Abraços

Wilson disse...

Olá Carlos gostaria de saber se existe a possibilidade do Typhoon vir equipar FAB como um caça tampão (em um número de 28 unidades mais ou menos), já que a fab ainda não decidiu o vencedor F-X2 e também a questão da a vida útil dos caças, que está acabando.

abraços e sucesso!!!!

Carlos E. Di Santis Junior disse...

Olá ,Wilson.
Se o Typhoon viesse para a FSAB, seria para ficar como caça principal. Caça tampão seria caças usados de baixo custo operacional, como F-16, por exemplo.
Abraços

Wilson disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Carlos E. Di Santis Junior disse...

Olá Wilson. Obrigado! Então. Eu ainda não li esta noticia, mas se eles conseguirem fornecer o Typhoon a preço de F-16, pode ter absoluta certeza que muitos equipamentos de manutenção e peças de reposição não serão fornecidas no pacote. O Typhoon é considerado um caça caro de comprar e de manter.
Abraços

Wilson disse...

Olá Calos, a versão biposta do typhoon tem capacidade de combate ou so é um treinador? Se existir alguma capacidade qual é a versão? Abraço!!!

Carlos E. Di Santis Junior disse...

Olá Wilson. O Typhoon Biposto tem total capacidade de combate e é operado como um bombardeiro devido a facilidade de ter um operador de sistemas de armas (o segundo piloto).
Abraços.

Cerberus116 disse...

Carlos, o vídeo do Typhoon n tá funcionando

Marshall Zhukov disse...

Esse EUROFIGHTER mostra como anda a industria aeronautica européia... Totalmente defasada. Muitas pessoas criticam a Rússia, mas este país sozinho desenvolveu um caça de 5ª geração, e a Europa teve que juntar 4 países para construir um caça de 4ª geração, que é muito inferior á um SU-27SM modernizado!!!

Carlos E. Di Santis Junior disse...

Olá Zhukov.
Inferior ou pior ainda "muito inferior" é errar feio. Só porque ele não executa a manobra do Cobra ou o Tails Slide, ele não pode ser julgado como inferior. O Typhoon ´pe um excelente caça e já venceu o Su-30 MKI em algumas oportunidade de treinamento. Sua taxa de giro, assim como sua relação empuxo peso são superiores a de todos os modelos do Flanker, MIG-29 e mesmo do F-2 raptor. Sua defasagem se dá em poucos segmentos como do radar, ainda de varredura mecânica, e ao fato de, como o Flanker, ele não ser invisível. O radar, no entanto, será substituído em breve.
Abraços

avelar disse...

Carlos, a rumnores que a FAP ta tentando comprar Tyfhoon I da espanha ou é da Italia, vc ta sabendo de algo? seria uma boa como tampão pra FAB já que o fx2 não termina nunca?

Carlos E. Di Santis Junior disse...

Olá Avelar.
Na verdade não é o Peru que está tentando comprar Typhoons e sim a Espanha que está tentando se "desfazer" de 20 unidades Trenche 1, especializados em combate aéreo (sem capacidade de ataque ar terra). A Espanha, com seus cortes orçamentários estão diminuindo, drasticamente sua capacidade de combate através de venda de diversos equipamentos de suas forças armadas. Para n[os seria um equipamento super interessante, porém, temos que avaliar que se trata de um caça caro de comprar e manter... sem capacidade de ataque fazendo com que a relação custo benefício seja limitada. Teríamos que adquirir novas armas pois ele não foi integrado a nenhuma de nossas armas. A brincadeira sairia cara. É melhor a Dilminha (aquela imbecil de presidente) fechar logo a compra de caças Super Hornets para acabar com essa grave pendencia na FAB.
Abraços