PESQUISA DE EQUIPAMENTOS

Pesquisa personalizada

05 junho 2006

LOCKHEED MARTIN F-35 LIGHTNING II JOINT STRIKE FIGHTER. Um caça para todas as missões


DESCRIÇÃO
Com o objetivo de substituir diversos modelos de aviões de combate da marinha e da força aérea, por um avião que fosse capaz de sobreviver no campo de batalha do século 21, os programas de desenvolvimento de novos caças, em andamento na marinha norte americana (US Navy) e na força aérea norte americana (USAF) se uniram em um só programa que foi renomeado para Joint Stryke Fighter ou JSF (caça de ataque conjunto). Nesse novo programa haviam três modelos concorrentes, sendo que um deles foi desenvolvido pela Mc Donnell Douglas, que apresentou um modelo de caça sem superfície de controle vertical (tail less), que logo foi desclassificado por apresentar um risco maior no desenvolvimento, já que se tratava de um projeto muito inovador e que provavelmente estouraria o orçamento. A outra empresa que foi selecionada para apresentar uma proposta para um caça de ataque conjunto foi a Boeing, que propôs o X-32, um avião com asa em delta alta, e com um aspecto bastante estranho, considerado até, como feio por alguns observadores; E por ultimo, a Lockheed Martin, com o X-35, um caça com desenho mais convencional que se parecia com um outro produto desta importante companhia, o F-22 Raptor.

Acima: O protótipo da versão definitiva do F-35 com o pós combustor ligado. O F-35A é uma tonelada mais leve que o protótipo do X-35, e seu motor é um pouco mais potente,aumentando a relação empuxo peso e melhorando o desempenho geral do F-35.
Na verdade, o X-35 parecia uma versão monomotora do F-22. Em 26/10/2001 a Lockheed Martin foi, oficialmente, declarada vencedora do contrato do JSF. Esse contrato, avaliado em US $ 200.000.000,00 (duzentos bilhões de dólares), é o maior contrato militar para uma aéronave de combate já assinado na historia. A Inglaterra entrou no programa do JSF, com a sua empresa Bristish Aerospace BAE, junto com a Lockheed Martin, porque ela precisava, também, substituir seus, já cansados, Harriers e Sea Harriers. Assim sendo, os aviões a serem substituídos por este expressivo programa, serão os F-16 e A-10 da USAF; os F/A-18 A/C da US Navy e dos Marines; Os Harriers GR 7, Sea Harriers da Royal Navy e o AV-8B Harrier II dos Marines americanos. O primeiro voo da versão de produção do F-35 teve lugar em 15/12/2006 em Forth Worth, Texas, sede da lockheed Martin.

Acima: O F-35A decola pela primera vez. O programa está andando sem problemas maiores, para a versão CTOL (decolagem convencional). O mesmo, porém, não se pode afirmar da versão VSTOL (decolagem e pouso vertical) que tem apresentado inúmeros problemas, inclusive estruturais.
O F-35 é um avião extremamente moderno. Nele está sendo instalado o que há de mais avançado em aviônica, sensores e armamentos. No painel deste caça, já se observa a revolução que se tornará tendência nos próximos projetos de caças tripulados. De cara, o que chama a atenção das pessoas que já tem alguma familiarização com cockipts de aviões de combate, é a ausência do HUD ou tela acima da cabeça, que é o instrumento onde se faz a navegação e a mira nos caças anteriores. No F-35, essas informações estão apresentadas no próprio capacete do piloto, através do HMD ou tela montada no capacete, tecnologia já existente em muitos caças, mas com aplicações ainda limitadas às manobras de combate e que no F-35, será o substituto do HUD, por tanto com funções mais amplas. Outra diferença é a existência, no painel, de um único display MFD, de grande simensão, que apresenta todas as informações para o piloto, que antes tinha que olhar em 3 ou 5 MFDs. Um sistema de som em 3 D, montado dentro da cabine do piloto permitirá diminuir o tempo de reação em combate através de uma voz sintetizada, que será a voz do caça e que poderá alertar o piloto de ameaças que ele venha a sofrer. Por exemplo, se o caça alertar para uma ameaça às 9 horas, o som virá da esquerda do piloto, para que o piloto olhe instintivamente para esse lado.
O radar desenvolvido para o F-35 é o Northrop Grumman AN/APG 81 do tipo AESA e que permitirá um desempenho de 165 Km de alcance de busca ar ar contra um alvo com 1 m2 de RCS (caças de 4º geração com tratamento para dificultarem sua detecção, como F/A-18E Super Hornet, Typhoon, JAS-39 Gripen) ou ainda 240 km contra um alvo com 5m2 de RCS (caças comuns como o F-15 Eagle, MIG-29, etc...). Este radar tem capacidade de busca ar terra simultaneamente com a busca ar ar, uma capacidade comum em radares AESA. Fora isso, esse radar pode ser usado para interferir nos radares inimigos, permitindo uma boa capacidade de guerra eletrônica. Esse recurso, especificamente, já é encontrado no radar usado pelo caça F/A-18E Super Hornet, oferecido para a Força Aérea Brasileira dentro do programa FX-2.
Acima: O sensor EOTS montado abaixo do nariz do F-35 traz para a fuselagem do avião um equipamento que antes só era usado pendurado em cabides externos.
Um dos sensores avançados instalado no F-35 é o AN/ AAQ-40 Electro-Optical Targeting System (EOTS), fabricado pela Lockheed. Esse sistema proporciona detecção passiva termal e designação de alvos por feixe laser. Outro sensor é o AAQ-37 DAS (Distributed Aperture System), que fornece visão a uma cobertura em 360º em volta da aeronave através de múltiplas pequenas câmeras infravermelhas. Esse sistema é usado para a navegação da aeronave, alerta de mísseis em aproximação e detecção de alvos. este sistema fornece um recurso inédito em aeronaves de combate que é a capacidade de o piloto enxergar através do piso do avião. As imagens geradas são mostradas no capacete HMD do piloto.
Ainda, tratando das capacidades dos sistema eletrônicos do F-35, foi instalado um sistema data link de comunicação segura avançado MADL (Multifunction advanced data Link) que permitirá a troca de informações do F-35 com outras aeronaves stealth, especificamente. Está previsto que em 2013 os caças F-22 também recebam este sistema para ampliar a integração do Raptor com os novos aviões F-35.

Acima:
O F-35 A se prepara para mais um vôo de testes. Entre as mudanças mais notaveis no desenho do avião, está a nova bolha do cockpit, com melhor visibilidade que o modelo X-35.
Uma das maiores dificuldades desse projeto de caça era conseguir desenvolver um avião que conseguisse executar a tarefa de 4 modelos distintos, e isso exigiu que uma das versões do F-35 fosse capaz de decolagem e pouso vertical (VSTOL), e voar a velocidades supersônicas. De fato, o F-35 na versão B será o primeiro caça com características VSTOL, supersônico a entrar em serviço operacional. O protótipo X-35 atingiu a velocidade máxima de mach 1.4, porém, a versão de produção, que é mais leve e tem uma pequena mudança aerodinâmica, foi mais rápido nos testes atingido velocidade de mach 1.67. Seu desempenho em voo  ainda é uma informação classificada, porém os dados do fabricante e dos pilotos de provas que testaram o F-35, deixam visível que ele tem um desempenho equivalente a de um F16C, porém, num caça furtivo, com maior autonomia e capacidade VSTOL. Uma informação que acabou saindo da boca do vice presidente da Lockheed Martin Stephen O'Bryan sobre o desempenho de voo do F-35 foi sua capacidade de voar em supercruise, mesmo que de forma limitada. Segundo O'Bryan, o F-35 consegue manter a velocidade de mach 1,2 por cerca de 300 km, e isso é uma característica que não se esperava do modelo em seu projeto.
Atualmente, muitos parceiros entraram no programa de desenvolvimento final, e espera-se que o F-35 seja muito exportado, se tornando o principal caça do ocidente nas próximas décadas.
O motor usado no F-35, será um derivado do Pratt & Whitney F-119, usado no F-22, chamado de F-135 e que é, efetivamente, o mais potente motor já instalado em um avião de caça proporcionando uma potência de 19100 kgf de empuxo com o pós combustor ligado. Existe um motor alternativo para o F-35 chamado F-136 que está sendo desenvolvido pela Rolls-Royce/ General Electric e que fornece ainda mais potencia podendo chegar a um empuxo de 20000 kgf usando o pós combustor.


Acima: Temos um protótipo do F-35C, destinado a operações em porta aviões. As asas deste modelo são ligeiramente maiores que o das outras versões e com possibilidade de serem dobradas para não ocupar muito espaço no porta aviões.
O armamento do F-35 pode ser transportado em 2 compartimentos internos montados embaixo de cada entrada de ar do motor, além dos 6 pontos fixos sob cada asa que explicarei mais adiante. As versões F-35A (decolagem convencional) e F-35C (versão operada em porta aviões) são capazes de transportar em cada um desses compartimentos internos uma bomba de 907 kg que pode ser da família JDAM ou a bomba planadora JSOW (450 kg), mais um míssil Raytheon AIM-120 Amraam de médio alcance. Já na versão F-35B (de decolagem curta e pouso vertical), o compartimento interno é capaz de transportar uma bomba de 450 kg mais um míssil Raytheon AIM-120 Amraam cada. Ainda pode ser transportadas quatro bombas de 130 kg, GBU-39 SDB, guiadas por GPS, em cada compartimento, aumentando a capacidade contra alvos múltiplos pois cada bomba SDB pode ser guiada de forma independente contra um alvo diferente.

Acima: Essas são as armas que o F-35 pode transportar internamente. Essa configuração será adotada sempre que a invisibilidade for necessária.
Externamente, há 2 pontos duros em cada asa com capacidade individual de 2300 kg de cargas, além de um ponto na ponta de cada asa para lançamento de mísseis de curto alcance. Esses pontos externos só são usados quando não haver mais necessidade de usar a furtividade do avião, já que cargas externas causam um grande aumento na reflexão do eco radar. O armamento transportado externamente é mais variado e é composto por bombas guiadas a laser Paveway de todos os modelos e tamanhos; bombas de fragmentação CBU-99 Rockeye II e CBU-105. Tanques de combustível externo podem ser transportados nesses pontos sob as asas, também. Os novos mísseis anti-tanque Brimstone da Inglaterra, baseados no míssil norte americano Hellfire, também fazem parte do arsenal do F-35.

Acima: Aqui temos a lista de armamentos externos que inicialmente serão usadas pelo F-35.
Para combate ar ar, além dos mísseis Raytheon AIM-9X Sidewinder e do AIM-120 Amraam , do mesmo fabricante, o F-35 terá integrado o novo míssil de médio alcance MBDA Meteor e o míssil AIM-132 Asraam de curto alcance.
Um canhão interno General Dynamics GAU-22/A de 25 mm com 4 canos giratórios que fornecem uma cadencia de 4200 tiros por minuto esta instalado no F-35A, sendo, porém transportado externamente nas outras versões do F-35, caso haja necessidade.

Acima: O painel do F-35 é o mais avançado já desenvolvido na história da aviação. Seus comando são do tipo touch screem facilitando ainda mais a execução das tarefas do piloto.

Acima: O novo capacete HMD (display montado no capacete) integrado ao F-35 faz o papel do antigo HUD (display acima da cabeça), somando as funções de ataque e navegação.

FICHA TECNICA (F-35A)
Velocidade de cruzeiro: mach 0.9
Velocidade máxima:
mach 1.67

Razão de subida: *15240m
Potência: 1,07
Fator de carga: 9 Gs
Taxa de giro: *24º/s
Razão de rolamento: *250º/s
Raio de ação/ alcance: 1400km/ 2800km
Alcance do radar: AN/APG 81 - 165km contra alvos de 1m2 de RCS
Empuxo: Um motor Pratt & Whitney F-135 com 19100 kgf de empuxo máximo.
DIMENSÕES
Comprimento: 15,85m
Envergadura: 10,40m
Altura: 5,28 m
Peso: 10600kg
ARMAMENTO
Ar Ar: Míssil AIM120C Amraam, MBDA Meteor, AIM9X sidewinder, MBDA AIM-132 Asraam
Ar Terra: GBU-31 JDAM, AGM-154 JSOW, Raytheon AGN-65 Maverick, Raytheo AGM-88 HARM, Boeing AGM-84 Harpoon,
Interno: 1 canhão General Electric GAU-22/A de 25mm.


Acima: Esta foto foi feita logo nos vôos iniciais do F-35 mostrando bem as suas similaridades estéticas com o F-22A Raptor.

Acima: O F-35A de decolagem convencional será o modelo padrão do F-35.
Acima: O grande desafio do programa Joint Strike Fighter (JSF) era justamente construir uma versão com decolagem curta e pouso vertical STOVL. O F-35B é o resultado bem sucedido desse desafio de engenharia.
Acima: A versão embarcada F-35C terá asas com extensões dobráveis  Esse aumento na envergadura das asas se mostrou uma necessidade para as aterrissagens no convés dos navios porta aviões.
ABAIXO O VIDEO DO DEMONSTRAÇÃO DO F-35.






ABAIXO, UM PROGRAMA DO DISCOBERY CHANNEL DESCREVE BREVEMENTE O F-35, COM BOAS IMAGENS DO MODELOS X-35 B DE DECOLAGEM CURTA E POUSO VERTICAL.




Receba as atualizações dos 3 blogs Campo de Batalha em sua caixa de e-mail. Mande um e-mail solicitando o cadastro na lista para: campodebatalha.blogs@gmail.com

95 comentários:

rodrigomdonato disse...

olá! me chamo rodrigo melo sou estudande de fisica, e cheguei até seu blog por uma curiosidade de leigo... :) vc por acaso assistiu o filme duro de matar 4? no filme ha uma cena com um f-35 e eu fiquei impressionado com as manobras executadas pelo caça... queria saber se foi muito exagerado no filme ou se de fato ele pode executar manobras como aquela. Muito obrigado desde já.

Carlos E. Di Santis Junior disse...

Olá Rodrigo. Eu não assisti ao filme mas vi a cena do F-35 inteira pela internet. O F-35 é capaz de pairar no ar e pousar como um helicoptero. Relamente há possibilidade de executar algumas lentas manobras nese sistema de decolagem e pouso vertical, porém as cenas do filme exageram bastante sobre essas manobras. Na vida real essas manobras não seriam possiveis.
Abraços

rodrigomdonato disse...

De fato... como era esperado rolou um exagerozinho... mas ainda assim deve ser impressionante a capacidade de manobra dele. muito obrigado pela resposta. abraço!

Nélio Monteiro Lima disse...

Vi o desempenho de Sukhoi- 35, acho que muita coisa, ele para no ar, voa em pé. Acho que os Índios de Uguito vão demorar para aprender a dar conta de todos esses recursos. Mas cá pra nós, imagina a Esquadrilha da Fumaça faria com esses Sukhoi- 35, rss.

ed disse...

nelio monteiro, esse nao é o Sukhoi- 35

esse caça que vc disse é russo de 4 geracao dos anos 80 provinido do su-27 com novas atualizacoes, esse f-35 é dos eua produzido em 2000 progetado para ser de 5 geraçao e esse sim sobe reto ^^ se vc quiser ver como ele funciona vai no youtube e procura f-35

Argolo disse...

Realmente é imprecionante a capacodade do F35. Esse Caçaé realmente umas das melhores criações feitas pela lockheed martin.Gostaria de algum dia poder velo cara a cara.

SCCYLL disse...

Ola Carlos, espero q esteja tudo jóia pra vc. E continuo gostando muito de ler seu blog, é o melhor q já achei sobre o tema (Campo de Batalha)!!

Carlos, vc acredita realmente que o F35 e em especial o F22 são capazes de abater em dogfhigt (dog fait) ou não um SUKHOI 35BM?

Outra coisa, me explique com mais detalhes, por favor, Carlos. A tecnologia furtiva ela funciona de que forma, como ela atua, qual o diferencial e todos os tipos de aviões podem ou já estão usando essa tecnologia?
Muito obrigado pela sua atenção.

Também gostaria de saber quantos países e quais participam do projeto do F35 JSF, e de que forma: se é com dinheiro ou tecnologia?

por favor desculpe o longo texto.

Carlos E. Di Santis Junior disse...

Olá Sccyll.
Sobre o dog fight (curto alcance as chances são equivalentes para qualqier caça, devido a elevadissima sofisticação dos misseis de 4º e 5º geração. O Super Flanker é mais manobravel que os caças de 5ºgeração, mas isso não resolve se o avião for atacado por um R-73 russo ou por um AIM-9X Sidewinder. Um simples F-5M poderia, se armado com um A-Darter (que a Africa do Sul está construindo com a participação brasileira) vencer um F-22 em combate aproximado.... entendeu? Isso não quer dizer que o F-5 seja um super caça.... mas o missil é! rsrs
Sobre a tecnologia furtiva, o seu fucnionamente consumiria muito espaço aqui. Mas resumidamente ela depende de materias especiais que absorvem um pouco da radiação dos radares (qualquer avião pode reber esse material, Formas de seu desenho que impossbilitem o retorno do eco radar para a fonte emissora (só aviões desenhados para isso como o F-22) e taticas de aproximação. A coisa, funciona sim, mas exige uma certa diciplina, devido a necessidade de taticas especificas.
No F-35 há 9 países participando des eu desenvolvimento. Alguns com determinadas peças, outros com sistemas mais sofisticados como a Inglaterra que produzu um motor alternativo chamado de F-136.
Abraços

Paaadre disse...

Olá carlos,gostaria de saber quais fatores tornam o f-22 superior ao f-35?Num combate a superioridade do f-22 é muito grande?
Gostaria de saber tbm se seria possivel q o rafale,recebendo modificaçoes,tivesse a capacidade furtiva do f-22?
Fico imaginando como o rafale msm carregando armas externamente pode ser o caça convencional mais dificil de se detecter.Se naum me engano o RCS do rafale é de 0.9m2 e na versão f3 sera de 0.5

Carlos E. Di Santis Junior disse...

Olá Paaadre. O F-22 não é da mesma categoria do F-35. Na verdade o F-35 é um avião de ataque com forte capacidade de combate aéreo. Já o F-22 é um caça de combate aéreo com uma capacidade limitada de ataque. O F-22 é maisrapido tanto em velocidade final como de cruzeiro, pois ele consegue voar em supercruzeiro. Seu radar tem maior alcance e ele tranporta mais armas internemente. O RCS do F-35 e do F-22 é similar, emborar priovavelmente nenhum dos dosi consiga ver o outro a longas e médias distancias. Já o rafale, o que existe é que boa parte de sua capacidade de dificultar sua detecção, é responsabilidade de seu sistema de guerra eletronica ativa.
Abraços

Wilson disse...

Olá carlos

O Rafale pode abater um F-35?

Carlos E. Di Santis Junior disse...

Olá Wilson. Poder bater um F-35, eu digo que sim. Mas seria dificil... não impossivel. O F-35, por ser muito dificis de ser visto poderia passar desapercebido por um rafale, e o auxilio de um avião AWACS aleraria o F-35 da presença do rafale. Ai você pode imaginar o resultado né...
Abraços

welington disse...

O F-35 tem capacidades stealth efetivas somente na parte frontal e inferior da aeronave, dificultando sua detecção para radares em terra já que é mais uma aeronave de ataque e não um caça de combate puro como o F-22 como citou o Carlos acima, porem aeronaves de alerta antecipado e ate caças podem detectala com certa facilidade, pois o tratamento stealth na parte superior, traseira, lateral não é o mesmo que consiste na parte frontal e inferior da aeronave, por esse detalhe e por seu desempenho um SU-35 BM um Rafale ou um Typhoon bem armado poderia abatelo.

carlos augusto disse...

olá chará,queria saber se vc sabe se FAB tem essa aéro nave f-15 aqui no Brasil.

Carlos E. Di Santis Junior disse...

oLÁ cARLOS. nÃO. o bRASIL USAAPENAS f-5, AMXA-1, E MIRAGE 2000.
aBS

carlos augusto disse...

boa tarde chara queria saber pq o brasil ñ produs aviôes para combate já q fomos o iventor da aviação com santos drumont.quero saber se vc pode me dar alguma dica para ser piloto ou trabalhar na área de tecnalogia militar.desde já obrigado.

Carlos E. Di Santis Junior disse...

Olá Carlos. Para se produzir um avi~çao de combate supersonico é necessa´rio altos inverstimentos e assumir um elevadp risco do projeto não dar certo. O Brasil não é um usuario de grandes quantidades de caças que faça justificar o investimento e o risco de projeto, assim a Embraer não tem, ainda tecnologia para projetar um avião supersonico.
Sobre uma carreira na area de aviação, sujiro prestar a prova para a AFA para entrar na FAB como piloto.
Abraços

carlos augusto disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
carlos augusto disse...

Olá chara gostaria de saber se vc acha melhor para mim faser essa prova pela afa agora com 17anos???ou depois com 18anos???
muito obrigado,abs e feliz páscoa.

Carlos E. Di Santis Junior disse...

Olá Carlos. Eu não sei qual é a idade minima para o ingresso na AFA. Porém sugiro que você tente o quanto antes.
Feliz pascoa para você.
Abraços

wesley disse...

ah carlos emilio eu vi no defesa br que a lockeed martin vendera caças desse f-35 para a marinha brasileira será que essa informação procede eu lhe pergunto isso porque estava la que a embraer iria assumir a empresa sueca saab mais essa informação não procedeu será que o governo brasileiro vai despejar rios de dinheiros nos f-35; mas se for verdade seria uma boa acelerada para a revitalização das forças armadas né quando vi essa reportagem quase cai de costas só não cai porque a cadeira me seguro mais de todo jeito será que nosso gobverno vai comprar f-35 para marinha? parabéns pelas reportagens do seu blog

Carlos E. Di Santis Junior disse...

Olá Wesley. O F-35 foi disponibilizado para a FAB que não aceitou devido a indisponibilidade do governo americano em transferir a tecnologia dele. Assim os americanos entraram com o F-18E e o F-16BR na concorrencia do FX 2.
A Embraer está negociando a compra de ações da Saab deforma que ela tomasse o controle acionario da empresa... mas esse negócio não está finalisado.
Abraços

flavio bimba disse...

Olá Carlos me chamo Flavio Barros e gostaria de saber se o Brasil tem a intenção de comprar aviões de caça mais modernos como o f22 e f 35, pois apesar de os novos mirages 20000 serem bonitinhos já não fazem muita frente as forças aereas da Venezuela por exemplo! abraços!

Carlos E. Di Santis Junior disse...

Olá Flavio. O Brasil está na parte final de um programa de aquisição de caças chamado FX-2, que diga-se de passagem, é comenatdo em toda midia, mesmo a não especialisada como aVeja e a Isto é. Os caças que estão concorrendo são o F/A-18E, Rafale e o Gripen NG. O F-35 foi oferecido mas logo foi retirado da concorrencia pois o governo americano não repassaria tecnologia dete modelo. O F-22 não est[á a venda. Nem o Japãp, tradicional aliado americano conseguiu adquirir o F-22.
Abraços

wesley disse...

olá carlos emilio pelo que eu vi no Defesa Br não seria a fab que iria adiquirir essas aeronaves mas sim a marinha será que essa informação procede

Carlos E. Di Santis Junior disse...

Olá Wesley.
Pelo que soube, nenhum avião de combate novo foi oferecido a marinha. Porém o F-35 foi oferecido para o FX-2 sim e depois retirado.
Abraços

poder bélico aéreo brasileiro disse...

CARLOS MAIS PELO QUE EU LI LÁ NO ARTIGO FORAM OFERECIDOS CERCA DE UNS 25 CAÇAS F-35 PARA EB MAIS MESMO ASSIM OBRIGADO
PARABÉNS PELO BLOG

Luiz disse...

Olá Carlos,vc saberia me dizer quantos F-35 as forças armadas inglesas pretendem comprar?

Carlos E. Di Santis Junior disse...

Olá Luiz. A Inglaterra planeja comprar 138 unidades do F-35B, especificamente.
Abraços

Skill disse...

é um avião bunitinho...e bem feitinho.

Ascrentaram um cockpt da hora e um capacete muito loko...só

Incrivel é que muitas destas tecnolias ja estavam dispiniveis em MIG29...e copiaram e melhoram um pouco.

o resto é só midia

Carlos E. Di Santis Junior disse...

Olá Skill. Como disse em outro post seu: "não deixe sua paixão pelos caças russos dominar sua capacidade de avaliação. O F-35 é um caça que manobra igual a um F-16 (portanto menos que o MIG-29). Mas é furtivo e tem um radar de varredura eletronica que supera de forma absoluta (diria até humilhante) o radar usado no MIG-29. A diferença cai quando comparamos com o MIG 35 (minha próxima matéria), mas ainda é enorme. Sem duvidas o MIG-29 cairia em combate contra um F-35 9 em cada 10 vezes.
Abraços

Skill disse...

Carlos, não sou fã de aeronave Russa..sou fã da MELHOR...se for israelence..chinesa..pra mim tanto faz...não vou voa-las mesmo..hehe

Mas gosto de conhece-las...e lembrando a ultima vez que ouvi "louvores" sobre aeronaves Americanas elas levaram uma lavada quando a Alemanha ocidental uniu-se com a Oriental..ali tiraram a prova.

Os "pau velhos" dos MIG dando coça em "imbativeis" F16.

Na guerra do Golfo...os "os antiquados" MIG29 derrubando as "invenciveis" F15. Assim vai,.,.,

Mas a comparação com o MIG29 de fato foi equivocada...em beve falaremos sobre o MIG35.

Só pra lembrar:
2grande guerra...russos detonam Alemanha e ficam com mais de 50% do territorio alemao..o resto é dividido pelos NA, Inglaterra e França (nao precisa apresnetar nada).

Vietnan: Os "capengas" MIG21 chutando os "espetaculares" F4.

Coreia: Idem

Georgia: idem (e tinha o aopoio da OTAN)

e assim vai...os unicos que os EUA sabem que levam ferro: Russia...

Gosto das aeronaves Americanas e Europeias...acho super maquinas. MAs elas levam tecnoligia americanas.

Os unicos com tecnologia propria Hje: Russia.

é ou não é para ficar impressionado???

abraço

Carlos E. Di Santis Junior disse...

Ol Skill.
Eu soube de alguns caças F-15 e F-16 sendo derrubados sim na guerra do Golfo e na Guerra da Iugoslavia... e que os yankees não admitem ter ocorrido. Porém o fato é que os caças F-15 e F-16 abateram muito mais caças do que foram abatidos. E nem é para menos. Tinham apoio de AWACS e treinamento melhor além de armas melhores.
Os F-4 levaram uma surra no Vietnam e obrigaram os EUA desenvolverem caças ageis que pudesse brigar com os ageis MIGs... Na Coreia a coisa foi bem elas por elas.... A unica guerra não vencida pelos americanos ai foi o Vietnam. A Coreia, está em guerra tecnicamente pois não há tratado de paz e é só dar uma olhadinha na situação dos dois paises para ver quem levou a melhor.
O MIG-35 é um caça da geração do F-16. Não se compara em nada ao F-35. Os diapositivos eletrônicos e capacidade de se manter discreto são características que superam as capacidades do Fulcrum.
Abraços

lucas disse...

ola carlos!!!!

Israel com os f-35 ,e possivelmente com os f-22,consiguiriam tem supremacia aerea no oriente medio????

parabens pelo excelente blog!!!

Carlos E. Di Santis Junior disse...

Olá Lucas.
Seguramente que Israel teria superioridade aérea sobre o oriente médio com essas aeronaves. na verdade, só com o F-22, isso já seria possível.
Obrigado pelo elogio!
Abraços

Leonardo disse...

Nada de novidade. Apenas um Yakovlev Yak-141 modernizado.

Luiz disse...

Olá Carlos,li algumas matérias,sobre o F-35,na internet e em uma delas disseram que o SU-35BM poderia vencer o F-35 sem muita dificuldade.
Vc saberia me dizer se essa informação procede?
Abraços

Carlos E. Di Santis Junior disse...

Olá Luiz. Existe um estudo muito sério de um autor chamado Carlo Kopp em que ele coloca de forma explicita que o Su-35BM consegue detectar um F-35 a cerca de 80 km o que daria condições de atacar o F-35 de forma BVR (fora do alcance visual) Porém, eu ainda tenho minhas duvidas se o radar do Su-35, realmente é o que a Sukhoi diz. Teoricamente, o F-35 com seu baixissimo RCS conseguiria lançar seus mísseis contra o Su-35BM antes.
Abraços

Probus disse...

"...outros programas podem se tornar supérfluos no ano fiscal de 2011, como o do avião de transporte C-17 da Boeing. Sobre possíveis cortes futuros, Carter disse esperar que eles não sejam necessários após a atual fase.
O subsecretário acrescentou que continua analisando com cuidado grandes programas bélicos, como o do caça F-35, para se necessários reestruturá-los. Mas ele disse que também se dedica a proteger programas que funcionam bem.

(Reportagem de Andrea Shalal-Esa)
http://noticias.bol.uol.com.br/internacional/2010/02/17/pentagono-diz-que-ja-cortou-piores-programas-belicos.jhtm

andre alexandre disse...

Ola me chamo André eu sou apaixonado por aviaçao, tenho 38 anos,gostaria de saber um curso para pilotos barato ou bolsas me alistei no IV comar Sao Paulo mais fui dispensado tem como ter uma carreira na aeronautica,atualmente vivo em Sevilla/España, abraço.

Carlos E. Di Santis Junior disse...

Olá André. O unico curso de aviação que conheço é ministrado no aeroclube de São Paulo, no Campo de Marte. N~]ao sei o custo, porém presumo ser caro uma vez que a maioria dos alunos parecem ser de familias da classe média alta. Entre em contato com eles pelo telefone 55 11 2221 9100
Abraços

Probus disse...

Comandante Di Santis, salvas!!

Peço desculpas Senhor, mas um campo que vai ser deficitário no BraSil vai ser o de Piloto de Helicópteros. Sei que não tem nada com pilotar aviões, mas o nobre seguidor, André, tem esta tendência e desejo.

Que Eólo, o Deus do vento, filho de Netuno te guiem André.

Boa sorte!!!

Valter disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Valter disse...

Olá Carlos o Harrier e F-35B podem disparar suas armas com as turbinas em modo de pouso vertical ?
Tenho outra pergunta similar: helicópteros de ataque como o Apache podem disparar mísseis anti-tanque em movimento? pergunto isso pois até agora só videos de disparos de hellfire com os helicopteros parados no ar.
Abraços

Carlos E. Di Santis Junior disse...

Olá Valter. Infelizmente não se lhe responder isso. Porém chuto que nao é possível disparar suas armas em vôo pairado.
Os helicópteros podem lançar seus Hellfires em movimento, embora não seja comum.
Abraços

Joathan disse...

Olá Carlos, parabéns pelos seus blogs. Eu tenho algumas perguntas e gostaria que você me respondense: Quais versões do F-35 (F-35A e F-35B) são mono e bilugar? E como você disse que o F-35 é mais para missões de ataque, um mix de F/A 18 Super Hornet (para missões ar-ar) e de F-35 (para missões ar-terra) seria bom para uma Força Aérea?
Ah, e como você admira as capacidades das aeronaves soviéticas, o que você acha das aeronaves Sukhoi que caíram na Índia (vi a foto de uma que simplesmente despedaçou em voo) e sobre as reclamações das autoridades indianas de que a manutenção dos produtos russos está mais cara que o esperado e de que a Rússia não está fornecendo as peças de reposição direito?
Por favor, adicione o meu e-mail na lista de alerta de novos posts:
joathanroberio@gmail.com

Carlos E. Di Santis Junior disse...

Olá Joathan.
Considero o Super Hornet um avião que não terá condições de vencer caças de 5º na arena ar ar, em 10 ou 15 anos, por isso não sou um fam da idéia de deixa lo nessa função. O F-35, mesmo tendo um foco maior em missões contra alvos de superfície pode se dar melhor que o Super Hornet em ar ar.
O problema de peças dos Indianos com os russos foi algo que ocorreu mesmo, mas já foi solucionado tanto que os Indianos compraram mais Flankers. caças F-16 (um dos melhores projetos em minha opinião) vive caindo.... e ninguém acha isso algo do outro planeta.
Já o custo de manutenção pode ter subido a medida que a moeda russa andou desvalorizando.
Abraços

Carlos E. Di Santis Junior disse...

Opa... desculpe. Já ia me esquecendo. Não há caças F-35 Biplaces, assim como não há caças F-22 de dois lugares também. O F-35B é a versão de decolagem curta e pouso vertical do Lightining II.
Abraços

Joathan disse...

Di Santis, qual o RCS estimado do F-35? E o do F-22?
Ah, não se esqueça de adicionar meu e-mail na lista de alertas.
Valeu! :)

Carlos E. Di Santis Junior disse...

Olá Joathan.
O F-35 tem um RCS de 0,0005 m2 no seu quadrante frontal (de frente) por isso esse dado é diferente quando um radar inimigo pega ele de lado, por exemplo. O F-22 é ainda mais furtivo, tendo um RCS de 0,0001 m2.
Seu e-mail foi cadastrado naquela sua primeira mensagem. Fique tranqüilo que assim que houver novas atualizações vc será alertado.
Abraços

bruno-ghost disse...

é realmente muito moderno

Ricardo disse...

desculpem mas este f-35 e um bombardeiro e nada mais do que isso recomendo que vejam estes videos,
http://www.youtube.com/watch?v=TS7O14nzrzE

http://www.youtube.com/watch?v=UQB4W8C0rZI&feature=related

reportagens feitas a pessoas que sabem do assunto um deles esteve envolvido no desenvolvimento do f-16, a-10 e f-14

Rob. Jr. disse...

Olá, Carlos, por acaso a proposta da McDonnell Douglas seria esta? http://www.aerospaceweb.org/aircraft/fighter/jsf/jast_mdd_01.jpg
Se for, talvez os americanos tenham perdido uma boa chance de revolucionar o design de caças.

Carlos E. Di Santis Junior disse...

Olá Rob O modelo da McDonnell Douglas, realmente trouxe um avanço notável em termos de desenho, e furtividade. Certamente que o modelo é mais furtivo que todos os outros. Porém, esse avanço todo trouxe, junto, o elevado risco e elevado custyo do projeto, coisas que o departamento de defesa foge feito o diabo da cruz.
Lembra do protótipo YF-23 Blackwidow? Ele era mais avançado que o F-22, mesmo assim, foi deixado de lado por causa do elevado risco de seu grande avanço.
Abraços

RDES disse...

Quem tiver curiosidade de ver o protótipo do F-35 de perto e até tirar fotos como fiz há alguns anos, ele, assim como muitos outros clássicos (F-14, F-4, SR-71, Space Shuttle, Enola Gay, WWII's e até mesmo alguns MIGs) está exposto no novo Air and Space Museum anexo ao Dulles International Airport (aeroporto de Washington DC).

JUNCULUS disse...

Carlos em um combate com F-22,F-35,SU-35BM,MIG-35,J-20 e PAK-FA usando os mais avançados mísseis ar-ar como R-37,R-77M1,R-73,AIM-9X,AIM-120D e sem apoio de awacs. Quem ganharia esse hipotético combate?

Carlos eu li em várias matérias que o maior problema com F-35 além do VTOL está no seu alto preço do projeto que está superando até mesmo o F-22 e isso pode atrapalhar o andamento do projeto.

Carlos E. Di Santis Junior disse...

Olá Junculus.
Este combate hipotético poderia ser vencido por qualquer uma das aeronaves. Dependeria do piloto. Porém, com estes caças, o MIG-35 estaria em grande desvantagem e possivelmente seria o primeiro a cair.
Sobre o F-35, eu posso dizer que o valor do projeto, especificamente é alto pois prevê a compra de muitas unidades (bem mais que o do F-22. O custo da unidade do F-35, no entanto, é mais barata que a do F-22, mesmo com o aumento do custo do F-35. ele ainda custa 1/3 do F-22.
Abraços

mv89 disse...

qual é melhor entre eles
f-15 ou mig-35 ou su-27

f-16 ou mirage ou mig-29

f-18 ou rafale ou gripen ou typhoon ou su-34

su-35 ou su- 37 f-35 ou f22

qual vc indicaria para o brasil tirando os americanos f22 e 35 na minha opniao fico com o su 35 do que o sueco e o frances
vc disse que em um combate de curto alcance ate um f5 poderia derrubar um f22 com um r-73 blz mais axa q o piloto conseguiria travar esse missel no f-22
e um f-22 levaria vantagem sobre um flanker em curto alcance

Carlos E. Di Santis Junior disse...

Olá MV-89
Tanto o F-15 quanto o Su-27 Flanker possuem muitas versões. Se você comparar as versões mais modernas de cada um destes caças eu lhe indicarei que o Flanker é superior ao F-15 por ter um radar de maior alcance e uma manobrabilidade superior. porém, na pratica ambos os aviões são similares e poderiam, facilmente, se matar mutuamente com uma mera troca de misseis.
Já o F-16 o considero melhor caça que o MIG 29 por ser mais flexível em uso. O MIG 29 pode lançar armas ar terra, mas claramente esta missão não é sua praia.
O F-18 é um bom caça, mas não se pode consideralo "otimo" em nada..... é como um pato. ele voa e nada mas não faz nada disso muito bem... hehehehe
A respeito do que eu prefiro para a FAB você pode entender lendo este meu artigo aqui: http://aircombatcb.blogspot.com/2011/06/modernizacao-capacidade-de-combate-da.html
Abraços

mv89 disse...

o que me diz sobre o mig 35

e sobre o projeto mig 31 1.44 éra um bom aviao

mv89 disse...

quem conheçe um bom filme sobre avioes de combate que nao seja top gun e cavaleiros do ceu
ou ate mesmo uns videos legais

Carlos E. Di Santis Junior disse...

Ola MV.
Tenho um artigo sobre estes aviões. O MIG 35 eu trato nesse link: http://aircombatcb.blogspot.com/2009/10/russian-aircraft-corporation-mig-35.html
e o MIG-1,42 (MIG-39) eu trato no: http://aircombatcb.blogspot.com/2006/06/mig-142-ou-mig-39-qual-ser-o-futuro-do.html
Abraços

Leonardo disse...

Olá Carlos.

Acompanho o seu blog a muito tempo e gostaria de parabenizá-lo por esse trabalho.

O F-35 foi oferecido para a FAB no FX-2, mesmo não tendo transferência de tecnologia como a FAB quer não seria melhor adquirir ele ao invés dos que estão no short-list, ou é como o Jobim falou uma vez de que ele é demais para o Brasil.

Obrigado.

Carlos E. Di Santis Junior disse...

Olá Leonardo.
O F-35 é um avião mais letal que os caças de 4º geração exclusivamente devido a sua furtividade. Ele tem, porém, uma certa deficiência de desempenho de voo no que tange a sua velocidade máxima, limitada a mach 1.6. Isto é não é um problema sério quando se pensa em um jato de ataque ou que vá ficar voando missões de escolta e superioridade aérea, mas é um problema a se considerar se você vai precisar de um interceptador. O FX será um caça multimissão. A FAB exigiu isso desde o começo. E ele substituirá um interceptador, o Mirage 2000, e por isso eu tenho um pé atras com o F-35 no FX. Se você me dizer que o F-35 seria um bom substituto para o F-5 e AMX, eu assino embaixo, mas para interceptador ele tem menos desempenho do que o ideal. Parece um detalhe bobo isso. Mas não é.
Entre os caças de 5º geração só o F-22, que os americanos não vendem e é carto demais, e o Sukhoi T-50 Firefox, seria adequados para o FX, do meu ponto de vista.
Abraços

gabajunior disse...

Ei Carlos , você disse que o países aliados dos EUA receberam os caças 35.
Poderia me disser quais países são aliados dos EUA, e se o Brasil esta includo.

Carlos E. Di Santis Junior disse...

Olá Gabajunior.
O F-35 será (futuro) recebido pelos paises aliados dos EUA que fazem parte do Programa e os que não participaram do programa mas que tiverem interesse no modelo. O Brasil chegou a ser sondado para comprar o F-35, mas nossos maravilhosos politicos o recusaram pois exigiram a besteira da transferência de tecnologia, da qual os americanos, justamente, não forneceram. Fora isso, o F-35 é mais caro que um Typhoon, que já havia sido desclassificado por conta desse alto preço.
Abraços

gabajunior disse...

Olá Carlos tenho mais 2º perguntas

1º:quais são os países aliados ao EUA?(poderia citar os nomes deles).

2º:e qual a diferencia de ter é não ter a transferência de tecnologia?

Carlos E. Di Santis Junior disse...

Ola Gabajunior.
Os países aliados dos EUA são muitos. Os maiores aliados, são a Inglaterra, Japão, Australia, Israel, Espanha e Canadá. Há outros aliados menos importantes, normalmente nações europeias.
Sobre a transferência de tecnologia, seria algo como o fabricante dos sistema de arma adquirido ensinar aos técnicos das empresas nacionais como construir o sistema que eles levaram anos para desenvolver. Na minha opinião, a forma como o governo quer a transferência de tecnologia para o FX é uma ilusão, pois nossos técnicos teria muita dificuldade de absorver as tecnologias mais modernas devido ao atraso de nossa industria e ainda o fato de não conseguirmos fazer nada com essa transferência, na pratica pois nosso maravilhoso governo não investe em defesa para poder dar continuidade para a cadeia produtiva e de desenvolvimento.
Abraços

MateusGM disse...

carlos eu gostaria de saber se o brasil adquirisse um novo porta avioes se o f-35 seria o caça ideal.

Carlos E. Di Santis Junior disse...

Olá Mateus.
O F-35 é um excelente jato de ataque e um bom caça ar ar. respondendo sua pergunta do ponto de vista estritamente focado na capacidade do avião, a resposta é sim. Porém se começarmos a observar o custo dele e de ter um navio em que ele possa operar, logo perceberemos que o governo brasileiro não apoiaria um investimento deste tipo.
O F-35 será o mais capaz jato de combate naval por, pelo menos 10 anos, quando ele entrar em serviço.
Abraços

Unknown disse...

Sobre o drone que os persas afanaram dos USA, e fácil capturar assim esse tipo de UAV? Acha que o F-35 fica vulnerável com a possivel descoberta desses segredos por persas, e provalmente por chineses e russos ?

Unknown disse...

Curiosidade: é facil capturar um UAV como fizeram os persas ? As tecnologias afanadas poderiam comprometer os F-35 ou comprometer projetos futuros ?

Carlos E. Di Santis Junior disse...

A captura do drone RQ 170 Sentinel americano foi uma proeza. A forma que foi feita é classificada, porém há informações não oficiais de que os russos ajudaram com um sistema de iinterferenecia em datalinks que eles usaram para testar no territorio iraniano..
Abraços

Marshall Zhukov disse...

Esse caça será letal! Letal contra seus próprios pilotos, que irão inalar gases emanados das tubeiras do motor, que estão vazando para dentro da cabine, igual o que ocorre com o F-22, que foi um fracasso em termos de projeto. Até hoje estes aviões não podem voar acima dos 10.000 metros, senão seus pilotos morrem intoxicados!

Carlos E. Di Santis Junior disse...

Olá Zhukov.
Sua informação está incorreta. O probelma de hipoxia observado entre pilotos do F-22, assim como em alguns membros do pessoal de terra que faz manutenção dele, ainda não foram desvendados, sendo que várias são as hipóteses.
A de intoxicação do sistema de OBOGs já está, praticamente descartada, sendo que agora, o maior suspeito é o traje do piloto. O F-22 pode voar acima dos 10000 metros , mas por medida de segurança, até a solução total da questão da natureza do problema de hipoxia, existe uma orientação de que os pilotos não sunbam além disso. O F-22 não é um fracasso de projeto e na verdade é o melhor caça do mundo. Certamente o Su-35 teria sérios problemas em enfrenta-los... e se ão fosse assim, os russos nem teriam desenvolvido o PAK FA T-50... eles poderiam ficar com seus Flankers. Não foi o que aconteceu.
Abraços

Carlos E. Di Santis Junior disse...

Outra coisa que havia me esquecido de comentar acima... nenhum F-35 tem observado histórico de problemas de hipoxia... O problema é exclusivo do Raptor.
Evite colocar seu amor aos equipamentos russos, para julgar de forma equivocada os outros. Este blog não é parcial em nenhum momento, quando tratamos de sistemas de armas. Os equipamentos russos são bem descritos e avaliados bastante positivamente, sempre que assim o merecerem. O que, quase sempre, são.
Abraços

Mendigo Sniper disse...

ola Carlos,gostaria de saber se o projeto Pak FA T-50 (uniao da Mikoyan, Yakovlev e Sukhoi) teria alguma chance de superar a tecnologia investida neste F-35 super maravi-lindo(???), ah e msm com a inovaçao deste super mega ultra radar super fodastico que mais pareçe um console de video-game compensa o seu desempenho no dogfight???

e qual seria a empresa q mais se destacaria em avioes modernos e rapidos??? a Saab???? a Lockheed Martin??? a Dassault??? a Mig??? a Embraer??? (=D sonha neguim)

Carlos E. Di Santis Junior disse...

Olá Sniper.
O F-35 é, principalmente, uma aeronave de ataque ao solo. Suas capacidade de combate ar ar são boas, mas não se comparam ao que se tem com o F-22. O T-50 é mais voltado a defesa aérea e mais capaz que o F-35 nesse ambiente do combate moderno.
A empresa líder no desenvolvimento de caças, na minha opinião é a Lockheed martim, dos EUA.
Abraços

arlete disse...

Carlos bom dia,o correto para nossa força aérea,não seria adquirir este caça.f-35 ou participar do PAK-FÁ russo,adianta comprar f-18ef ultrapassado,gripen,rafale,pois até podem ter algumas tecnologias modernas ou até superiores mas não superam o f-22 e nem o f-35 sendo que o maior poblema sera o su-35 pois assim como o su-30 podera ser vendido a varios paises e provavelmente o PAK-FA e ai como ficaremos no chão como os libios?

Carlos E. Di Santis Junior disse...

Olá Arlete. Como lhe respondi na outra postagem, o Br5asil pensa em uma força armada que seja capaz de lutar em nossa região. O F/A-18E não é obsoleto e ser´pa usado pela marinha americana e pela a Australia, pelo menos, até 2030. Abraços

José Valério Ferreira Bertoli disse...

Bom dia Carlos!
Queria sua opinião, e se possível informação sobre sobre o seguinte:
1- A tecnologia da "invisibilidade" é realmente a melhor ou a tecnologia de detecção está defasada?
2- Vi algumas matérias sobre o uso de plasma pelos russos para deixar seus aviões menos visíveis, é real?
3- Caso existam essas alternativas para diminuir a visibilidade não seria melhor investir em aviões com desenho convencional, que é muito superior aos "invisíveis" (exceto por está característica "invisível"), utilizando-as nesses que são muito mais baratos de se produzir e manter?
Abraço!

José Valério Ferreira Bertoli disse...

Bom dia Carlos!
Queria sua opinião, e se possível informação sobre sobre o seguinte:
1- A tecnologia da "invisibilidade" é realmente a melhor ou a tecnologia de detecção está defasada?
2- Vi algumas matérias sobre o uso de plasma pelos russos para deixar seus aviões menos visíveis, é real?
3- Caso existam essas alternativas para diminuir a visibilidade não seria melhor investir em aviões com desenho convencional, que é muito superior aos "invisíveis" (exceto por está característica "invisível"), utilizando-as nesses que são muito mais baratos de se produzir e manter?
Abraço!

Carlos E. Di Santis Junior disse...

Olá José.
Já pesquisei muito sobre a tecnologia de plasma e ainda ela é um "mito". Pelo que li, ela afeta o radar do próprio avião, porém ela, certamente, ainda não é operacional. O novo caça russo tem desenho stealth, mostrando que os russos lançaram um novo caça com a tecnica de furtividade que os americanos usam a mais de 20 anos e por isso penso que o Plasma pode ter sido considerado inviável ou, realmente não passou de uma lenda urbana.
É conhecido o fato que radares AESA tem melhores condições de lidar com caças stealth, porém, ainda não os detectam com distancia segura.
E por ultimo, posso dizer com toda a segurança que o F-22, stealth, é tão manobrável quanto um Flankler. Por isso considero que um caça stealth pode sim, ter desempenho de voo elevado. Tudo dependerá dos requisitos de projeto.
Abraços

Anselmo disse...

Ola Carlo me tira uma duvida pelas informações dadas o F35 só é totalmente furtivo para radares situados em terra e em navios porque para aviões de alerta antecipado ele não é tão eficiente em tua opinião uma frota de Rafales com nossos R99 seriam um fator disuazorio de respeito letal,razoavel,ou medilcre(dei o caça Françes como exemplo porque sou a favor dele).parabens e um prospero ano a voce e todos o acompanhantes deste maravilhoso blog.

Carlos E. Di Santis Junior disse...

Olá Anselmo.
O F-35 não é totalmente furtivo nem para estes sistemas que vc mencionou. Porém, estes sistemas só detectariam ele de perto, o que, com suas armas de médio e longo alcance, não aconteceria, pois ele destruiria seus alvos antes de se aproximar o suficiente. Contra um radar aerotransportado o problema de maior pois muitos destes radares são de varredura eletrônica que conseguem detectar aeronaves stealth um pouco mais longe, mas não em seu alcance normal....
O rafale, integrado a o E-99, desde que operado em numero adequado e com uma cobertura adequada (ter varias bases, separadas....) certamente seria um elemento dissuasor muito efetivo. Mas na pratica até com o Gripen ou com o Super Hornet, esse efeito se conseguiria usando corretamente os caças.
Abraços

Vlado Lima disse...

Bom dia, Carlos. Li nos últimos meses muita coisa sobre o projeto do F-35, e, na maioria das vezes, notícias não muito boas: que o projeto ficou muito caro, problemas no avião, países que participam do projeto já pensam em desistir ou diminuir seus pedidos de compra. Enfim, pensando no dia de hoje 04/02/2013 em que pé está o projeto? Seria um mico ou realmente esse projeto vinga. Abraços e parabéns pelo blog.

Carlos E. Di Santis Junior disse...

Olá Vlado.
Tenho uma matéria que trata desse assunto. O linkl é: http://aircombatcb.blogspot.com.br/2012/12/a-polemica-sobre-o-f-35-lightining-ii-o.html
Ela mostra o que eu penso sobre ele.
Abraços

Walterson Almeida disse...

Olá!
Sou leigo, apenas um apreciador de avões de combate. Vi um vídeo no Youtube onde um a equipe formada por um F-35 Lightining II, um F-22 raptor e F/A-18 Super Hornet (Blue Team), contra outra com Sukois SU-27 SM, SU-30 e SU-35 (Red Team). O Red Team ganhou de lavada.
http://www.youtube.com/watch?v=27qdB1D0s9M

Walterson Almeida disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Walterson Almeida disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Carlos E. S. Junior disse...

Olá Walterson.
Um vídeo montado sem credibilidade.
O F-22, sózinho, já daria conta dos caças Flanker, porém, o Super Hornet, provavelmente levaria chumbo contra os russos. O F-35 não deve ser considerado um concorrente dos Flankers pois sua missão principal é justam ente ataque contra alvos em terra, tendo uma capacidade de combate ar ar secundária. Porém vale observar que os Flankers provavelmente perderiam o combate contra o F-35 porque ele é stealth.
Abraços

David disse...

Olá Carlos! Muito boa a matéria! Tenho algumas perguntas que ja foram respondidas em alguns comentarios anteriores porem nao me ficou claro! O que significa um Dogfight? E o que sao misseis Ar Ar? Abraços

Carlos E. S. Junior disse...

Olá David.
Dogfight é o nome que se dá ao combate entre um avião e outro a curta distancia. É como uma briga de cães. Alias Dogfight significa exatamente isso, "briga de cães". Nesse tipo de combate, um caça tenta ficar atras do outro procurando uma solução para tiro e assim vencer o combate. Já, as armas ar ar, são as armas usadas de um avião, contra outro, em voo. Por isso Ar Ar.
Abraços

0-6 disse...

Carlos eu vi vários posts em blogs gringos que consideram o F35 um projeto perdido, qual sua opinião em relação a isso?

Outra coisa: Quantos e quais tipos de armamentos o F35 pode carregar sem precisar acoplar nada nas asas? Eu li em algum lugar (sinceramente não me lembro onde) que a capacidade de carregar armamento do F35 é bem reduzida, isso é verdade?

Carlos E. S. Junior disse...

Olá 0-6. O texto desta mat´peria responde sua pergunta com relação ao armamento. Porém o caça não será perdido. Já foram entregues 100, sendo que o centésimo na segunda feira passada. O modelo passará por ajustes ainda e se tornará o principal caça ocidental em 15 ou 20 anos. Seu desempenho de voo é menor que dos caças F-16. Mas sua furtividade será um aliado para que ele se consagre vencedor na arena de combate contra inimigos de 4º geração.
Abraços